Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

doce dezembro

doce dezembro

27
Mar18

Pequenas coisas da vida

M

Ontem fui à papelaria e fiz uma amiga! Uma bebé gorducha e sorridente que pelos vistos gostou muito de mim. Esticou a mãozinha enquanto me tentava chamar a atenção com barulhos fofinhos. Dei-lhe o dedo e ela gostou muito. Adorei-a!

Já hoje, na fila do supermercado, ganhei uma bisavó! Uma senhora simpática prestes a fazer noventa anos que começou a falar comigo enquanto eu esperava a minha vez. No fim, veio ao meu ouvido e disse-me que esperava que eu fosse muito feliz. Desejei-lhe o mesmo. 

26
Mar18

Filmes | The Strangers - Predadores da Noite

M

 

Fui ver este filme de terror no sábado à noite com o meu namorado. Foi ele quem me deu a conhecer.

Quando chegou o dia, às onze da manhã já havia lugares ocupados, apesar do filme ser às dez da noite! Então, fomos num instante ao shopping comprar os nossos bilhetes por precaução.

Eu sinceramente não prestei muita atenção ao trailer, mas que deu a entender ser um bom filme, isso deu!

Um dos maiores motivos para eu ter receio de ver este filme era talvez o facto dos assassinos usarem sempre máscara. Um medo que eu tenho é exactamente esse: pessoas mascaradas. Odeio palhaços, odeio pessoas vestidas com todas aquelas roupas que não deixam ver a cara, odeio não saber quem está ali, que pessoa é aquela! Tenho este "trauma" desde pequena e desde então já fugi de algumas personagens conhecidas dos mais pequenos!

Mas enfim, fomos ver o filme e gostei bastante. É assim, o meu género é mais aqueles filmes de espiritos e coisas por aí, mas estou a tentar deixar isso de parte porque pronto... é estranho... e também já não gosto assim tanto. Fui ver o "Jigsaw: o legado de Saw" quando estreou e gostei também, por isso é que experimentei ver este, pois era mais na onda dos assassinatos e assim.

É uma história que, pelo menos no filme (porque dizem que é baseado em factos reais e eu não duvido, mas ainda não pesquisei sobre isso), é previsivel demais. Deixa-nos sempre na expectativa mas no fim acaba por acontecer o óbvio e o que, na minha opinião, não aconteceria se fosse real (pelo menos comigo não, acho que seria a primeira a ir de pandecos!).

Quando o filme acabou já era meia noite e chovia bem lá fora. Eu e o meu namorado tivemos de apanhar um autocarro e eu fiquei muito paranóica com o que tinha visto. As máscaras, o facto de só terem tirado a máscara a um deles... isso mexe comigo porque sinto a necessidade de saber quem está por baixo daquilo! Mas principalmente fiquei paranóica porque comecei a pensar o que seria de mim se alguém tivesse a ideia de andar assim vestido na rua como andaram por aí de palhaços (graças a Deus nunca apanhei nenhum, porque se apanhasse dava-me uma coisinha má, mas o meu namorado já apanhou vários dentro de um carro quando estava a regressar a casa perto da uma da manhã).

No geral, o filme é muito bom. Previsivel, um bocado "estranho" porque vamos lá ver, há coisas que só em filmes mesmo!

 

Os próximos filmes que quero ver são o "A Cada dia" e o "Death Wish: a vingança". Pesquisem sobre estes filmes se ainda não conhecem, em especial o "A Cada Dia", pois é bastante interessante e creio que uma história verdadeiramente bonita, mas isso só vendo!

20
Mar18

Chamemos a isto um Diário

M

Sete e cinquenta da manhã. Já na rua olhei o céu. Este parecia maior, mais alto, mais distante... como se eu voltasse a ser pequena e tudo me parecesse muito grande.

O céu estava bonito. Azulinho com núvens. Algumas eram brancas e fofinhas, outras mais escuras e não tão queridas. Uma sensação conhecida que já não se manifestava há muitos anos apoderou-se de mim. Uma sensação que me costumava acompanhar algures na infância quando tentava imaginar a minha vida dali a x anos.

Rapidamente o azul se transformou em cinzento. Gotas apressadas caíam lá de cima e começavam a molhar-me o corpo. Não bastavam já as que me molhavam a alma?

O meu pensamento prendia-se no quanto as coisas mudaram. Já nada é igual. Já não sou quem era e estou tão longe de ser quem quero. E fora isso, cá dentro só sentia uma confusão enorme.

 

Três e quarenta da tarde: o pico. O pico da minha tristeza, o choro compulsivo, a raiva. As lágrimas que segurei ao longo do dia caíram em peso. E nem o peso que deitei cá para fora eliminou o que restava cá dentro. Todos os sentimentos maus que eu tentei e tento afastar de mim se juntaram e se mostraram presentes de novo.

 

Cinco horas: hora do duche. Pensei que seria a melhor altura do meu dia, a altura em que iria desligar os pensamentos e somente ficar ali, a sentir a água quente que me caía pelo cabelo, com a cabeça vazia. Bem, vazia vazia não estava, acho que tenho bateria infinita e nunca nada se desliga por aqui. Soube bem e ao contrário do que eu achava que iria acontecer, não desabei de novo.

 

Na minha cabeça a confusão mantém-se. Não sei o que se passa aqui dentro, mas chove e chove bastante. Aqui dentro não há indícios de primavera.

08
Mar18

De novo?

M

Voltei a mudar o aspecto da casinha (quanto tempo durará esta mudança? Uma semana, um mês? Criem lá templates giros pá!).

As ofendidas que me desculpem, mas ser mulher também é isto. Ser avariada da cabeça e bipolar, hoje querer azul e amanhã rosa! É assim que me defino, e a maioria das mulheres que conheço também o é, ainda que cada uma à sua própria maneira.

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • omeumaiorsonho

    Boa sorte com o novo blog vou seguir certamente.

  • HD

    Já fui espreitar mas a casinha ainda está vazia :-...

  • M

    Eu tenho um spray próprio para estas... bichas, ma...

  • M

    espero é que tenha ido para outro lado qualquer.....

  • omeumaiorsonho

    Nada que um mata moscas não resolva ou um spray

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D